Fale conosco

Retrospectiva 2021: Mercado livre de energia bate recorde de migração de unidades consumidoras

25 de janeiro de 2022

O Ambiente de Comercialização Livre fechou o ano de 2021 com crescimento, com 5.563 novas Unidades Consumidoras (UCs), número recorde para o segmento. Este artigo traz alguns dados importantes para entendermos onde estivemos, onde estamos e para onde vamos.

O mercado livre bateu recorde de migração de unidades consumidoras em 2021. Foto: Pixabay

Como é a participação das Energias Renováveis no Mercado Livre de Energia?

A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) destaca que 50% da geração de energia renovável é comercializada no mercado livre de energia.

De acordo com o boletim de dezembro da CCEE, a energia fotovoltaica teve um crescimento de 57,9% em relação ao mesmo período de 2020, as hídricas um aumento de 4,0% e as eólicas de 0,7%.

Como foi o consumo de energia do ano de 2021?

No gráfico, é possível observar o comportamento do consumo mensal em relação ao ano de 2020. Nele vemos que o consumo de energia elétrica no mês de dezembro registrou queda de 1,2% em comparação ao mesmo período de 2020.

A CCEE analisa 15 ramos de atividade econômica e, no relatório, os maiores crescimentos são em saneamento (19,6%), serviços (18,8%), comércio (14,6%) e madeira, papel e celulose (14,0%).

Quanto do consumo industrial está no Mercado Livre de Energia?

O setor industrial é responsável por 85% de toda a energia consumida no ambiente livre no último ano. Segundo os dados do Boletim Abraceel, de dezembro 2021, os setores de saneamento e serviços aumentaram o consumo em 20,3% e 18%, respectivamente, em relação ao mês de 2020.

Qual o número de participantes do mercado livre de energia?

A CCEE possui um total de 12.275 agentes. Dentre eles, 9.955 são consumidores de energia, divididos em 8.816 consumidores especiais e 1.139 consumidores livres.

É importante ressaltar que um agente consumidor é diferente de unidade consumidora, sendo que as UCs correspondem a 26.017.

Além disso, no mercado livre de energia há 457 comercializadores que desempenham um papel fundamental para o funcionamento do mercado.  Clique aqui e verifique todos os agentes que fazem parte do ambiente livre .

O número de consumidores poderia ser maior?

Sim, o estudo da CCEE revela que 70 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para o mercado livre. São empresas de grande e médio porte que hoje possuem, sozinhas ou em comunhão, carga superior a 500 kW.
A maior parte dessas unidades – cerca de 73% – pertence às classes industrial, rural, comercial e de serviço público.

Se as 70 mil unidades resolvessem migrar para o mercado livre, qual seria o tamanho dele em comparação ao mercado regulado?

Hoje o mercado livre de energia responde 32% do consumo no SIN. Se todas as unidades que podem migrar hoje o fizessem, a participação aumentaria para cerca de 40,2%.

Para a expansão do mercado livre temos muitas expectativas e potencial, pois o setor elétrico brasileiro está entre os sete com maior capacidade de geração instalada no mundo e, no quesito geração hidrelétrica, somos o segundo País melhor classificado no ranking (MME).

Percebe-se, portanto, que o mercado livre vai continuar crescendo. Esse avanço agrega mais competitividade ao setor, além de, é claro, de garantir o poder de escolha aos consumidores.

O que esperar para 2022?

Para esse ano, temos expectativas para o progresso do mercado livre, tendo em vista que a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e a CCEE tem o prazo de até 31 de janeiro para apresentar um estudo e um cronograma com medidas regulatórias necessárias para permitir a abertura do mercado livre para os consumidores com carga inferior a 500 kW – levando em consideração que tenha início a partir de 01/01/2024.

Se você quer conhecer mais sobre os benefícios do mercado livre de energia e entender melhor esse ambiente, entre em contato com a equipe de especialistas da 2W para te auxiliar em todo o processo.

Joiris Manoela, fundadora do Canal Energês