Fale conosco

Decreto do governo para redução do consumo de energia: mais um passo para a eficiência energética?

26 de agosto de 2021

Com o cenário histórico de crise hídrica, administração pública deverá reduzir entre 10 e 20% da demanda de energia com atitudes de consumo consciente do insumo

Nessa quarta-feira (25/08), o Governo publicou um decreto para redução do consumo de energia da administração pública. Entre setembro de 2021 e abril de 2022, os órgãos deverão buscar reduzir entre 10 e 20% do uso com relação à média dos mesmos meses em 2018 e 2019.

Para acessar o decreto, clique aqui.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME), a administração pública totaliza mais de 22 mil edificações própria e 1.400 alugadas. A soma representa uma boa parcela do consumo de energia no Brasil.

Entre as recomendações do decreto, temos:

  • Desligar ar-condicionado e iluminação quando o ambiente estiver desocupado;
  • Manter filtros e dutos dos aparelhos de ar-condicionado limpos;
  • Instalar interruptores para cada local específico;
  • Usar sensores de presença em locais de uso transitório (corredores, banheiros);
  • Desligar os equipamentos cujo uso não seja necessário e constante;
  • Priorizar a aquisição de lâmpadas mais eficientes para os ambientes das edificações.

Essas medidas foram motivadas pela falta de chuva que vem sendo um ponto de atenção, principalmente, nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do país que enfrenta a pior crise hídrica dos últimos 91 anos. 

Leia também: https://2wenergia.com.br/com-falta-de-chuva-crise-hidrica-alerta-consumidores-para-consumo-consciente/

O MME, na ocasião, também informou que, na próxima semana, deverão anunciar o programa de incentivo à redução do consumo de energia do consumo de residências brasileiras. As regras e bonificações ainda não foram publicadas.

Eficiência Energética é o caminho

Para quem não conhece, essas e outras medidas anunciadas pelo governo são iniciativas de eficiência energética. Nada mais é do que o uso mais consciente e inteligente da energia elétrica.

Com tecnologia, inteligência artificial e medidores inteligentes, é possível reduzir substancialmente o consumo de casas, comércios, indústrias e até iluminação pública.

Essa vertente é um ponto forte de cidades inteligentes e precisa ser mais conhecida e implantada aqui no Brasil. Ainda estamos aquém das possibilidades de economia e consumo inteligente no país. Um exemplo muito conhecido de uma atitude que pode reduzir, e muito, a demanda de energia é a substituição da lâmpada incandescente pela LED. Você provavelmente, já ouviu falar ou já trocou na sua casa ou na sua empresa, né?

Telemetria e gestão do consumo

Aqui, na 2W Energia, firmamos parceria com grandes empresas de tecnologia do setor elétrico para instalação de medidores inteligentes em todos os nossos clientes. Com isso, o consumidor pode entender o seu perfil de consumo, quais aparelhos estão gastando mais do que deveriam, necessidade de manutenção preventiva, gestão do seu consumo de energia em tempo real e outras vantagens.

Conheça melhor essa solução: https://2wenergia.com.br/2w-eficiencia/

Por aqui, a gente torce para que essas medidas continuem sendo adotadas mesmo fora de uma situação de crise hídrica. Boas práticas para o uso inteligente da energia elétrica devem ser incentivadas constantemente. E, claro, que incentivamos cada vez mais a geração de energia renovável e diversificação da nossa matriz elétrica. Até 2024, devemos implantar mais de 1GW de capacidade instalada em projetos eólicos e solares.

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53184891/2w-energia-inicia-construcao-do-complexo-eolico-anemus

Fernanda Melo, Head de Marketing e Conteúdo na 2W Energia