Fale conosco

2W Weekly: as principais variações do mercado – 08 de Fevereiro

8 de fevereiro de 2021

Categorias:

Fique por dentro das principais variações no mercado de energia com o nosso Diretor de Trading, Artur Teixeira, e nossa Head de Middle Office, Clarissa Freitas, que trazem para você uma análise completa da semana operativa. Confira abaixo:  

Preço de Liquidação das Diferenças (PLD)

Na primeira semana operativa de fevereiro de 2021 (30/01/2021 a 05/02/2021), a média semanal do PLD fechou em R$ 152,10/MWh para o submercado Sudeste, R$ 141,53/MWh para o submercado Sul, R$ 146,53/MWh para os submercados Nordeste e Norte.

A variação em relação ao preço médio da função de custo futuro do modelo do DECOMP foi de R$ -0,62/MWh para o submercado Sudeste, R$ -10,65/MWh para o submercado Sul, R$ -6,29/MWh para os submercados Nordeste e Norte.

Na segunda semana operativa de fevereiro de 2021 (06/02/2021 a 12/02/2021), a função de custo futuro do modelo DECOMP indica um preço médio R$ 171,88/MWh para todos os submercados.

A expectativa atual do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) de Energia Natural Afluente (ENA) para o mês de fevereiro é de 72% da MTL no subsistema Sudeste, 152% da MTL no subsistema Sul, 31% da MTL no subsistema Nordeste e 58% da MTL no subsistema Norte.

A estimativa realizada hoje pela 2W Energia para o mês de janeiro, com modelos hidrológicos do tipo Chuva X Vazão, apresenta para o subsistema Sudeste um intervalo de 65% a 80% da MLT, centrado em 70%. O subsistema Sul fica entre 128% e 146% da MLT, centrado em 135%.

A Energia Armazenada inicial em 05/02/2021 é de 23,7%/59,9%/52,4%/30,9% nos subsistemas Sudeste, Sul Nordeste e Norte, respectivamente.

Cenário atual e diferenças em relação ao final da semana passada:

Precipitação realizada

A previsão para o fim de semana simulava o avanço de uma frente fria pelo estado de São Paulo, chegando posteriormente ao litoral do Rio de Janeiro. Com suporte em médios e altos níveis da atmosfera, um episódio de Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) se formaria, trazendo os maiores volumes de chuva para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás e Mato Grosso.

A realização meteorológica fica aderente à previsão, embora abaixo dos volumes previstos pelos modelos numéricos. O modelo ECMWF superestimou a chuva principalmente nas bacias do Grande, Paranaíba e Tietê, enquanto os desvios mais relevantes do GFS ocorreram apenas na bacia do Paranaíba.

Precipitação para os próximos 15 dias

Para a semana atual, teremos uma continuidade da atuação da ZCAS avançando mais para norte, causando chuva sobre as bacias do São Francisco, Tocantins e Xingu principalmente até dia 10/02. A partir do dia 11/02, teremos um retorno da precipitação para as bacias do Grande, Paranaíba e Paraná.

A previsão de hoje apresenta uma tendência de redução de volumes previstos em todos os modelos meteorológicos, quando comparada com a simulação da última sexta-feira.

Interpretações do mercado

Depois de uma semana com preços em queda, fechamos a semana passada fev@173, mar@180, abr@160, mai @155, jun @180 e 2sem@228.

O longo prazo teve movimento mais brando, com poucas ofertas fazendo com que o bid/ask abrisse bastante e a liquidez fosse reduzida – compras pra 2022 estavam em 192/193, e vendas a 198. O 2023 também mudou pouco, com negócios saindo ao redor de @171.

A mudança de mapas no fim de semana e baixa resposta de ENa jogou tudo pra cima novamente, e hoje vimos março negociado acima de 200 reais, Q2 subindo para @170 e 2sem a @240, efeito da piora nas expectativas de armazenamento futuras.

No âmbito regulatório, IBAMA e Norte energia parecem ter chegado a algum tipo de acordo, apesar de as notícias ainda não serem 100% oficiais, e ainda não ter ficado confirmado a manutenção do hidrograma B.

O órgão ambiental apenas postergou a determinação de 10.900 m3/s em pimental, mas apenas até dia 10/02, alegando que em breve notícias sobre tal acordo serão informadas.

EM paralelo, no mercado de curto prazo, a resolução do GSF parece ter alterado a dinâmica na precificação de lastro – a maior parte do volume de janeiro/21 foi negociada a pld careca, sem o deságio habitual desse tipo de produto. Em paralelo a I0 subiu bem, batendo até PLD+10 reais – preço que não era visto desde os primeiros MVEs no fim de 2018.

Já a incentivada 50% deu uma bela cedida dos preços exorbitantes que se encontravam. No inicio do CP, negociada na segunda feira a PLD+75, fechou a semana com 20 reais de queda, a PLD+55.

2W Energia – Artur Teixeira e Clarissa Freitas.

2W Energia