Fale conosco

2W Energia lança projeto para aumentar presença de mulheres no setor elétrico

8 de março de 2022

O setor elétrico precisa de maior presença feminina. Para responder a essa demanda, a empresa lança neste mês seu projeto 2Women, voltado especialmente para desmistificar o setor e atrair o público feminino. O lançamento oficial será no dia 28 de março em evento híbrido no Novotel Morumbi. O evento contará com palestra da maestra Mariana Menezes, painel de debate sobre “Liberdade de Escolha” com participação de líderes de grupos de mulheres da energia, além de apresentação musical.

No ano passado, a 2W procurou verificar a composição do conjunto dos nossos consultores de energia por uma iniciativa do CEO da empresa, Claudio Ribeiro. A empresa se deparou com um dado importante sobre o qual não havia se dado conta até então: apenas 8% do total das pessoas consultoras de energia da 2W são mulheres. No levantamento é possível perceber que comparadas à performance dos homens, as consultoras são as que mais têm a venda de energia como fonte principal de renda.

Diante desta realidade, Roberta Antoniazzi, gerente comercial nacional da 2W Energia, teve a ideia de criar um projeto voltado para capacitação de mulheres, para se tornarem consultoras de energia e assim se tornarem vendedoras de energia no mercado livre. “O setor de energia é vibrante e conhecemos muitas mulheres que se dão bem nesta área, basta romper a barreira do conhecimento. Além disso, o mercado de venda direta de energia é bastante atraente com comissões e remuneração compensatórias, acreditamos que será um excelente estímulo para as mulheres que desejam empreender”.

O projeto encontra, portanto, dois vetores da liberdade pela qual tanto prezamos na 2W: a liberdade de escolha, com o direito de os consumidores escolherem de onde comprar a sua energia, e a liberdade da mulher em exercer o seu direito de se desenvolver como profissional, para além de suas atribuições relativas aos ofícios de casa e da maternidade.

O 2Women visa fomentar a entrada de mulheres no setor elétrico. Foto: Unsplash

Mas em que grau e circunstâncias a liberdade de exercer uma atividade profissional se concretiza? Na prática, o que vemos em relação às mulheres que desenvolvem uma carreira profissional é a realidade de que elas se tornam sobrecarregadas, uma vez que acabam muitas vezes somando as suas jornadas de cuidados da casa, filhos e eventualmente de cuidados de outros membros da família com a jornada de trabalho.

Com a pandemia houve um agravamento em relação a essa realidade: o isolamento levou milhares de mulheres ao redor do mundo a deixar suas carreiras para cuidar da casa, filhos, idosos e outros familiares. É fato que quando alguém fica doente na família é a mulher quem deixa o trabalho para cuidar do familiar.

De acordo com um levantamento feito em setembro de 2021 pelo Instituto FSB, com a companhia seguradora SulAmérica, 62% das brasileiras afirmam que a saúde emocional piorou ou piorou muito durante a pandemia. Ao analisar o dado entre os respondentes homens, este número foi de 43%.

Ainda há um outro lado em relação à liberdade que não se trata exatamente do exercício de uma escolha, mas de uma decorrência do fato de precisarem trabalhar para gerar renda para o sustento da família. Dados atuais do IBGE mostram que 45% das famílias brasileiras são chefiadas por mulheres.

É aqui que entra a relevância do projeto da 2W. Como a escopo do projeto é de promover capacitação para mulheres que desejem se tornar consultoras de energia, ou seja, profissionais autônomas, que poderão gerir os seus negócios conforme seu tempo. Desta forma, nossa intenção é de criar espaço no setor de energia para que mulheres possam ser empreendedoras e ao mesmo tempo mais “livres” para gerirem seu tempo em função de suas metas de rendas.

O projeto da 2W, portanto, é uma tentativa da empresa de criar uma opção para que mais mulheres ingressem no setor elétrico e possam contribuir para o desenvolvimento do mercado livre.

2W Energia